4 erros comuns que podem comprometer a qualidade do seu crachá

Como você sabe, o uso de crachás de alta qualidade traz inúmeros benefícios, seja para empresas, instituições de ensino, eventos, etc. Mas para obter um crachá eficiente, que cumpra seus objetivos, é necessária a atenção redobrada em alguns pontos durante o processo de produção. Nesse artigo você descobre os erros mais comuns que ocorrem na confecção de crachás, que acabam gerando cartões de baixa qualidade.

 

1 - Design mal planejado

Um dos pontos mais importantes de um crachá é seu design. A partir dele, são transmitidos os valores da empresa e, se produzido com qualidade, funciona como um marketing positivo para a instituição. Tudo depende da característica da empresa e da sua estratégia na comunicação visual.

Algumas empresas não dão a atenção devida a esse ponto, e desenvolvem um layout genérico, que não representa ligações fortes com as cores da empresa ou muitas vezes apresentam um design nem um pouco “clean”, com muitas informações desnecessárias ou desorganizadas, formando um crachá visualmente poluído.

4 erros comuns que podem comprometer a qualidade do seu crachá

Para que isso não ocorra, faça um planejamento estratégico, analisando se o tipo de design vai combinar com a sua empresa. Dependendo do estilo, um layout mais básico e minimalista pode servir, assim como em empresas mais modernas um layout mais criativo e não convencional pode agradar. Tudo isso, sabendo dispor as informações adequadamente no lado da frente e do verso do crachá.

Outro aspecto que faz parte do design é a fonte, que também tem que estar de acordo com o restante do visual. Assim, você faz valer o investimento e colhe os frutos utilizando essa ferramenta tão importante.

 

2 - Erros na captura de imagem

Outro aspecto de suma importância para um crachá é a imagem do seu detentor, algo que tem influência na autoestima de quem está usando-o e também faz parte de um bom marketing, pois de nada adianta um design bem-feito se a foto for de péssima qualidade.

Algumas empresas contratam pontualmente um serviço para a realização das fotografias, o que pode ser uma excelente opção. No entanto, uma captura feita com um celular recente pode ser suficiente para ter fotos de alta qualidade.

Para a impressão de crachás, a fotografia precisa estar apenas com boa resolução e com ajustes adequados de iluminação e nitidez, não havendo necessidade de um arquivo com resolução acima de 300dpi. Além de, claro, estar na proporção correta para o tamanho da foto reservado no crachá, é necessário observar se a fotografia apresenta sombras e manchas , já que elas aparecem na impressão.

Outro ponto importante são as dimensões do arquivo, que deve ser 54 x 85.6mm (padrão ISO CR80), com a largura ideal sendo entre 400 e 800 pixels, ou vetorial. Ajustes como tamanho, brilho e contraste podem ser realizados diretamente na plataforma da CardPress quando você fizer o upload das fotos para seu crachá.

 

3 - Escolha do material

Crachás de papel ficaram no passado, pois além de possuírem baixa durabilidade, oferecem pouquíssima segurança. Optar por crachás de papel atualmente pode transparecer como falta de profissionalismo, coisa que nenhuma instituição deseja.

A melhor escolha do mercado são os cartões de PVC, que duram mais e são de maior qualidade, dispondo de tecnologias como QR-CODE, código de barras e/ou aproximação, que podem ser utilizadas de acordo com a finalidade do crachá.Muitas empresas, porém, não valorizam como deveriam o crachá, ignorando esses benefícios e perdendo no quesito segurança. Além disso, se informar sobre a empresa que fabrica os crachás para descobrir se os produtos são de qualidade ou não também é essencial, ou você pode acabar escolhendo uma fabricante que não tem muita experiência e que talvez cometa erros no processo.

 

4 - Não avaliar a relação Custo/Benefício

Mais um erro influenciado pela baixa valorização dada ao crachá é o julgamento precipitado (ou falta dele) da relação custo/benefício. Algo bastante visto na sociedade, as pessoas sempre estão em busca do menor preço possível e, ao mesmo tempo, querem itens de qualidade, algo que raramente acontece.

 

4

 

Não só no caso do crachá, como no geral, deve se prezar pela qualidade. Empresas que não demonstram a devida preocupação com esse ponto, acabam saindo no prejuízo quando seus crachás apresentam defeitos ou duram muito pouco.

Junto a isso, somam-se os fatos de que um crachá de baixa qualidade é um marketing negativo e também um risco para a segurança da empresa, ou seja, você vai pagar por um produto que, além de não cumprir com seus objetivos, ainda vai atrapalhar seu negócio.

Por isso, é essencial procurar empresas com excelência na fabricação de crachás. A Cardpress se enquadra nesse grupo, oferecendo o que há de mais moderno na emissão de crachás personalizados em PVC, sempre prezando pela qualidade.

por GABRIEL DOMINGUES

- 1017 visualizações

Palavras-chave: crachá, como fazer cracha de qualidade, design de cracha

 

Tags para pesquisa: crachá, como fazer cracha de qualidade, design de cracha